Arquivo | 16:49

Passione

5 jun
Eu não gosto de novelas. Em verdade as repudio. Mas quando fiquei sabendo que a abertura da nova novela das 21h, da Globo, Passione, que estreou no dia 17/05, tinha participação de Vik Muniz,  fiquei esperando dar a hora da novela  só para ver a tal abertura. Achei bem legal o projeto, que conta com direção de Hans Donner, Alexandre Pit e Roberto Stein. Posteriormente, descobri que Vik Muniz elaborou três obras exclusivas para o projeto, utilizando técnica de reprodução de imagens com sucata.
Cada obra – montada com a colaboração de jovens da ONG Espetáculo – tinha aproximadamente 20 m x 15 m. A produção contou com equipamentos de ponta como a grua retrátil technocrane e, ainda, a câmera Red, com lentes de ultima geração. A direção de fotografia é de Joel Lopes. Toda edição, finalização e sonorização ficaram sob a responsabilidade da Videographics / CGCOM.
Vik doou seu cachê no trabalho para a ONG Espetáculo e uma das obras para o Criança Esperança.

Ficha Técnica:

Título: Abertura Passione

Direção: Hans Donner, Alexandre Pit Ribeiro e Roberto Stein

Artista Plástico: Vik Muniz

Produção: Ciranda Filmes/Andrea Oliveira

Direção de Fotografia: Joel Lopes

Pós-Produção: Videographics/ CGCOM

Acrílica sobre carne

5 jun

Artista americana transforma realidade em pintura

Caminhando no sentido oposto ao de retratistas do Renascimento, a jovem artista americana Alexa Meade trabalha sob uma interessante perspectiva. Enquanto a Vênus de Botticelli ameaça uma iminente saída da tela, as obras de Alexa, apesar de fotografias, nos confundem acerca dos limites entre o que é pintado e o que pode ser visto.

Meade aplica tinta acrílica sobre seus motivos, criando pessoas, naturezas-mortas e espaços arquitetônicos impressionistas. Sua exímia habilidade em lidar com a pintura em superfícies tridimensionais lhe rendeu o ingresso à expoente série de instalações Irvine Contemporary, que objetiva uma inversão na forma como experimentamos e interpretamos relacionamentos espaciais. A própria artista diz:

“Os modelos  são transformados em personificações da interpretação que o artista [ela] tem de sua essência. Quando capturadas em filme, aquelas pessoas vivas e que respiram por debaixo da tinta desaparecem, eclipsadas pelas máscaras de si mesmas.”

A pintora ainda diz estar buscando novas mídias, como a audiovisual, para incorporar ao seu trabalho. Segue abaixo uma pequena coletânea de alguns dos incríveis trabalhos de Alexa Meade, cujo Flickr, Twitter e página pessoal estão acessíveis a um clique.