Felicidade que não acaba mais

1 set

Arnaldo Jabor volta ao cinema depois de quase 20 anos

“Rio de Janeiro, 1945. Em uma rua bucólica, Paulo, de 8 anos, assiste à  festiva comemoração do fim da guerra ao lado dos pais: Marco, aviador da FAB, e  Sofia, sorriso largo, sedutora,  cheia de vitalidade e a cabeça feita pelos filmes de Hollywood. Afinal, foi num baile cinematográfico que o casal se conheceu e acreditou que viveria feliz para sempre.”

Assim começa a sinopse de A Suprema Felicidade (Brasil, 2010), novo filme de Arnaldo Jabor (Toda Nudez Será Castigada, Eu Sei que Vou Te Amar) que será lançado em 29 de Outubro deste ano. O filme representa um evento importante para o cinema nacional, já que Arnaldo está quebrando um longo jejum cinematográfico, que dura desde o curta Carnaval, de 1990.

A Suprema Felicidade está impregnado de traços autobiográficos, como já confessou o roteirista. Puxando de suas próprias memórias do pós-guerra, Arnaldo reconstrói um Rio de Janeiro que faz jus à alcunha de Cidade Maravilhosa. Acompanha-se, na película, vários anos da juventude de um rapaz que se afasta e se reaproxima do pai, convive com os problemas emocionais da mãe e se apaixona por uma jovem dançarina de cabaré que imita Marilyn Monroe. O trailer foi solto esta semana:


Anúncios

Deixe seu comentário indecente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: