Arquivo | janeiro, 2011

A Chanel do século XXI

31 jan

Talvez visando atrair o olhar do público jovem para todo o glamour e requinte que a marca sempre inspirou, a Chanel surpreendeu com uma propaganda de cosméticos. O vídeo-conceito utiliza trilha eletrônica e requintado stop motion, sem esquecer da elegância de símbolos clássicos, como a piteira, e dos símbolos modernos, como os robôs. Uma mistura interessante que deu certo. A direção é de Peter Philips.

(Dica do queridíssimo blog Smelly Cat!)

 

Lirismos de Quinta – 27/01/2011

27 jan

Um poema pra de Fernando Pessoa, para celebrar o clima de férias.

Liberdade – Fernando Pessoa

Ai que prazer
Não cumprir um dever,
Ter um livro para ler
E não fazer !
Ler é maçada,
Estudar é nada.
Sol doira
Sem literatura
O rio corre, bem ou mal,
Sem edição original.
E a brisa, essa,
De tão naturalmente matinal,
Como o tempo não tem pressa…

Livros são papéis pintados com tinta.
Estudar é uma coisa em que está indistinta
A distinção entre nada e coisa nenhuma.

Quanto é melhor, quanto há bruma,
Esperar por D.Sebastião,
Quer venha ou não !

Grande é a poesia, a bondade e as danças…
Mas o melhor do mundo são as crianças,
Flores, música, o luar, e o sol, que peca
Só quando, em vez de criar, seca.

Mais que isto
É Jesus Cristo,
Que não sabia nada de finanças
Nem consta que tivesse biblioteca…

Un Tour de Manége

24 jan

Hoje, ao invés de estudar, fui passear pelo Vimeo e encontrei essa belezura que não pude deixar de compartilhar. Pura poesia e cor fundidos numa dança deliciosa em costumes de aquarela.

Lirismos de Quinta – 20/01/2011

20 jan

Não há muito o que dizer, sobre os Lirismos de hoje, apenas que Carlos sempre me comove.

Lira Romantiquinha – Carlos Drummond de Andrade

Por que me trancas
o rosto e o sorriso
e assim me arrancas
do paraíso?

Por que não queres
deixando o alarme
(ai, Deus: mulheres)
acarinhar-me?

Por que cultivas
as sem-perfumes
e agressivas
flores do ciúme?

Acaso ignoras
que te amo tanto,
todas as horas,
já nem sei quanto?

Visto que em suma
é todo teu,
de mais nenhuma
o peito meu?

Anjo sem fé
nas minhas juras
porque é que é
que me angusturas?

Minh’alma chora
frio e tristinho
não te comove
este versinho?

Pra sentir o gostinho da 29ª Bienal de SP

19 jan

É triste ver que BH está longe de sediar eventos grandes. Principalmente aqueles eventos culturais que trazem um pouco de polêmica na bagagem. Um dos eventos mais comentados do ano de 2010, no cenário cultural foi a 29ª Bienal de São Paulo. Na verdade, chegamos até a colocar algumas imagens aqui. Tamanho foi o sucesso do evento, que uma parceria entre as Fundações Clóvis Salgado e da Bienal de São Paulo trazem até Belo Horizonte uma seleção de obras presentes no evento, dando-nos a chance de sentir o gostinho daquilo que foi a Bienal (além de ser uma oportunidade pra quem já viu rever as obras). Com cerca de 190 obras de 35 artistas de vários lugares do mundo —entre eles Jean-Luc Godard, Carlos Garaicoa, Gil Vicente, Hélio Oiticica, Lygia Pape e Matheus Rocha Pitta e outros—, a 29ª edição da Bienal propõe uma reflexão acerca do cenário político, discutindo sua relação com a arte.

A exposição está no Palácio das Artes, e ocupa galerias e espaços diversos, como hall de entrada, passeio e Cine Humberto Mauro, além do Centro de Arte Contemporânea e Fotografia. Com curadoria de Moacir dos Anjos e Agnaldo Faria, as obras selecionas estarão em exposição de 18 de Janeiro a 20 de Março, de terça-feira a sábado de 9h às 21h e domingo de 16h às 21h. A entrada é franca. Quem quiser mais informações pode ligar no telefone (31) 3236-7400 ou então acessar a página da Fundação Clóvis Salgado.

Há também disponível, uma lista das obras selecionadas. Quem quiser ver é só clicar aqui.

(Indicação do Rafael Reis)

Verdades, por Mafalda

18 jan

O que realmente importa para você?

A evolução do carro do Batman

16 jan

Clique para ampliar.

(via)