Lirismos de Quinta – 03/02/2011

3 fev

Com o advento da morte de Reynaldo Jardim (13/dez/1926 – 01/fev/2011), os Lirism0s dessa semana fazem sua singela homenagem ao poeta e jornalista brasileiro.

.

Maternal – Reynaldo Jardim

Ela se deita,

Diz que não se importa

E deixa a porta

Escancarada e nua

Ela projeta

Uma sombra torta,

Iluminada pela luz da rua.

A lua bate e ela

se comporta

Como se a lua fosse

Seu cachorro

que amestrado

Lhe beijasse a boca,

que sensitivo

Lhe aplacasse o choro.

E esse quarto

vira uma loucura

de bocas, de cachorro

de ternuras

de luas espalhadas

Água em chamas.

No incêndio dourado

de seus pêlos

queimam-se desvarios

e desvelos.

O mel de leite

Brota em suas mamas.

Anúncios

Deixe seu comentário indecente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: