Arquivo | outubro, 2011

Há 109 anos nascia o mais torto dos anjos

31 out

Se estivesse vivo, Drummond completaria 109 anos hoje. Frequentemente presente em nossos Lirismos, e mesmo em outros posts, viemos homenagear o Anjo Torto com um poema deste, e um de dos mais significativos de sua carreira literária.

Poema de Sete Faces – Carlos Drummond de Andrade

Quando nasci, um anjo torto
desses que vivem na sombra
disse: Vai, Carlos! ser gauche na vida.

As casas espiam os homens
que correm atrás de mulheres.
A tarde talvez fosse azul,
não houvesse tantos desejos.

O bonde passa cheio de pernas:
pernas brancas pretas amarelas.
Para que tanta perna, meu Deus, pergunta meu coração.
Porém meus olhos
não perguntam nada.

O homem atrás do bigode
é serio, simples e forte.
Quase não conversa.
Tem poucos, raros amigos
o homem atrás dos óculos e do bigode.

Meu Deus, por que me abandonaste
se sabias que eu não era Deus
se sabias que eu era fraco.

Mundo mundo vasto mundo,
se eu me chamasse Raimundo
seria uma rima, não seria uma solução.
Mundo mundo vasto mundo,
mais vasto é meu coração.

Eu não devia te dizer
mas essa lua
mas esse conhaque
botam a gente comovido como o diabo.

Feliz Halloween!

31 out

Fizemos uma seleção de tirinhas para o dia das bruxas! Divirtam-se!.
.

.

.

.

.

Stopover

29 out

Stopover é uma simpática animação de um astronauta solitário que encontra com um extraterrestre durante um pit-stop. Dirigido e animado por Neil Stubbings. Design de som por Gregor Rosenberger.

Lirismos de Quinta – 27/10/2011

27 out

Esse poema caiu em uma questão do ENEM esse ano e quando o li, a primeira coisa que pensei foi em compartilhá-lo aqui.

Guardar – Antônio Cícero

Guardar uma coisa não é escondê-la ou trancá-la.

Em cofre não se guarda coisa alguma.
Em cofre perde-se a coisa à vista.
Guardar uma coisa é olhá-la, fitá-la, mirá-la por admirá-la, isto é, iluminá-la ou ser por ela iluminado.
Guardar uma coisa é vigiá-la, isto é, fazer vigília por ela, isto é, velar por ela, isto é, estar acordado por ela, isto é, estar por ela ou ser por ela.
Por issomelhor se guarda o voo de um pássaro
Do que se guarda um pássaro sem voos.
Por isso se escreve, por isso se diz, por isso se publica, por isso se declara e declama um poema:
Para guardá-lo:
Para que ele, por sua vez, guarde o que guarda:
Guarde o que quer que guarda um poema:
Por isso o lance do poema:
Para guardar-se o que se quer guardar.

Adendo: Anteriormente havíamos dito que o poema é de Gilka Machado, como consta a autoria na prova do ENEM, porém o leitor Adriano Nunes nos alertou e corrigiu. Obrigada, Adriano!

Hitchcock e os (Angry) Birds

24 out

Alguma mente perspicaz por aí fez o trocadilho e a seguinte ilustração.

De Edith Piaf a Patti Smith a Jimi Hendrix a Libertines a Cazuza a The Who…

21 out

Durante anos os nerds cinéfilos  monopolizaram a ideia de ligar os pontos entre celebridades através de Six Degrees of Kevin Bacon. (Para quem não sabe, o jogo é uma tentativa de conectar todos os atores a Kevin Bacon).

Foi aí que um cara genial chamado Paul Lamere revirou o universo musical e criou Six Degrees of Black Sabbath, um site que conecta, de alguma forma, quaisquer dois músicos ou bandas.

Parece fácil se você pensar em Gaga e Madonna, mas a gente testou com artistas aparentemente muito aleatórios como Patti Smith e Edith Piaf, Cazuza e The Who, Jimi Hendrix e Libertines, Rancid e Beach Boys (!), Caetano Veloso e Metallica e por aí foi. O site interligou tudo em até 14 “passos”.


Por incrível que pareça os mais pesquisados são Mozart, Bach e Beethoven, mas a graça é tentar interligar as pessoas mais rândomicas possíveis. Vão em frente.

Lirismos De Quinta – 20/10/2011

20 out

Hoje o Lirismos de Quinta traz um poema de Cazuza encontrado em seu quarto por Lucinha Araújo, sua mãe.

Querido Diário (Tópicos para uma semana utópica)

Segunda-feira:
Criar a partir do feio
Enfeitar o feio
Até o feio seduzir o belo

Terça-feira:
Evitar mentiras meigas
Enfrentar taras obscuras
Amar de pau duro

Quarta-feira:
Magia acima de tudo
Drogas barbitúricos
I Ching
Seitas macabras
O irracional como aceitação do universo

Quinta-feira:
Olhar o mundo
Com a coragem do cego
Ler da tua boca as palavras
Com a atenção do surdo
Falar com os olhos e as mãos
Como fazem os mudos

Sexta-feira:
Assunto de família:
Melhor fazer as malas
E procurar uma nova
(Só as mães são felizes)

Sábado:
Não adianta desperdiçar sofrimento
Por quem não merece
É como escrever poemas no papel higiênico
E limpar o cu
Com os sentimentos mais nobres

Domingo:
Não pisar em falso
Nem nos formigueiros de domingo
Amar ensina a não ser só
Só fogos de São João no céu sem lua
Mas reparar e não pisar em falso
Nem nas moitas do metrô nos muros
E esquinas sacanas comendo a rua
Porque amar ensina a ser só
Lamente longe por favor
Chore sem fazer barulho