Arquivo | Ménage Cultural RSS feed for this section

De Edith Piaf a Patti Smith a Jimi Hendrix a Libertines a Cazuza a The Who…

21 out

Durante anos os nerds cinéfilos  monopolizaram a ideia de ligar os pontos entre celebridades através de Six Degrees of Kevin Bacon. (Para quem não sabe, o jogo é uma tentativa de conectar todos os atores a Kevin Bacon).

Foi aí que um cara genial chamado Paul Lamere revirou o universo musical e criou Six Degrees of Black Sabbath, um site que conecta, de alguma forma, quaisquer dois músicos ou bandas.

Parece fácil se você pensar em Gaga e Madonna, mas a gente testou com artistas aparentemente muito aleatórios como Patti Smith e Edith Piaf, Cazuza e The Who, Jimi Hendrix e Libertines, Rancid e Beach Boys (!), Caetano Veloso e Metallica e por aí foi. O site interligou tudo em até 14 “passos”.


Por incrível que pareça os mais pesquisados são Mozart, Bach e Beethoven, mas a graça é tentar interligar as pessoas mais rândomicas possíveis. Vão em frente.

Ménage Cultural

24 fev

Um texto de Rafael Reis.

LCD Soundsystem is not playing at my house

Alexander, our older brother,
set out for a great adventure.

Arcade Fire

Foi em outubro de 2005 minha primeira viagem para um show. Arcade Fire, Strokes e Wilco tocariam no Tim Festival. Imperdível. Época de vacas magras, 4º período de faculdade, juntei umas economias e fui do jeito que deu: busão pro Rio de Janeiro, dormir de favor no chão da sala da casa de unsamigos de um amigo, comer apenas o necessário, voltar de carona com um recém conhecido, etc. Nada disso era problema, o importante era ver os shows, que foram fodas. Desde então, dificilmente passo um ano sem ver alguma apresentação legal de bandas que vêm para o Brasil. Felizmente, as vacas engordaram um pouco nesses 6 anos. Infelizmente, ainda é preciso gastar uma grana alta com viagens (fora o cansaço), pois BH continua à margem da cena artística contemporânea.

Minha mais recente aventura foi ver o show de despedida da banda norte-americana LCD Soundsystem, cujo líder, James Murphy, decidiu dar um tempo para tocar adiante alguns projetos paralelos. Diga-se de passagem, o LCD tocou em BH, salvo engano, em 2007. Não vi o show na ocasião, então só me restava pegar uma grana e ir pra SP, era a última chance…

Como tudo foi combinado em cima da hora, a viagem acabou ficando mais cara do que o normal. Saímos de BH na sexta, dia 18, às 11:40. Voltamos às 18:00 do dia seguinte. O show foi muito intenso e animado, a banda tocou suas melhores músicas durante aproximadamente 1 hora e 50 minutos. Para mim, faltou tocarem apenas “Watch the tapes”, do álbumSound of Silver. De pontos negativos, achei a produção muito desleixada: além do palco muito pequeno, o som estava bem ruim. Ouvia-se mal o vocal de James Murphy e a voz de Nancy Whang, tecladista com algumas participações vocais importantes, era quase inaudível. Uma pena.

Ainda não fiz todas as contas, mas juntando deslocamentos (avião + metrô + táxi + ônibus), hospedagem (Formule 1, tosco mas funcional), ingresso e despesas com bebida e alimentação, acho que foram uns R$ 1000. Caro? Muito, se pensarmos que foi apenas “uma saída”. Valeu a pena? Para mim, sim. Mas sempre fico na esperança de que um dia os produtores musicais de BH vão resolver entrar na briga pelosbons shows; que alguém construirá uma casa de shows decente; e que, principalmente, teremos público para isso aqui na roça. Quando isso acontecer, viajar será uma opção, não uma obrigação.

Ménage Cultural – Fevereiro/2011

16 fev

Após tantas contribuições e tanto incentivo, o Rafael Reis que já teve até um texto publicado aqui no blog ganha, a partir de hoje, uma coluna mensal fixa pra dar dicas de filmes, músicas entre outras cositas, e falar um pouco sobre coisas variadas. Na sua primeira edição, o Ménage Cultural traz esses dois curtas. esperamos que gostem da novidade!

Dois belos curtas do diretor islandês Rúnar Rúnarsson (Ou duas histórias de amor)

The Last Farm (2004)

Two Birds (2008)

Quem quiser mais informações sobre os belíssimos curtas pode clicar aqui e aqui.