Tag Archives: alexander mcqueen

Os amores de Joapa

25 out

Acredito que o que marca mais o trabalho artístico de João Paulo Tiago seja amar demais.Joapa ama a cultura japonesa, as cores saturadas, os traços negros, finos e precisos, as aquarelas simples e geniais, as fantásticas histórias dos mangás e animes, a mensagem de amizade de Doraemon, os grandes e expressivos olhos, os corpos diminutos e grandes cabeças fofas dos chibis.

Ama o homoerotismo, as frontes baixas, as sobrancelhas grossas, os corpos definidos e vigorosos, as curvas fechadas, os pêlos, as barbas, os cabelos curtos, a comunhão entre dois semelhantes, o suor trocado, os suspiros úmidos, as relações que, de tão naturais, chegam a parecer pecaminosas.

Ama o Sagrado, o Espírito Santo, a paixão dos corações ardorosos e dilacerados, o Pai, a Mãe, o dourado, o azul e o vermelho das igrejas barrocas, as luzes vacilantes das velas em procissão.

Ama a música pop, dançar como se ninguém estivesse vendo, as coreografias, os videoclipes, os hits, os absurdinhos, os clubs, as pick ups, os remixes, as noites caramelizadas e alcoolizadas, os pubs, o suor no fim da noite, os amigos de uma noite e de uma vida inteira, a ressaca moral do dia seguinte.

Ama a poesia, seja nos versos de Drummond, nas epifanias de Clarice, nos vídeos de Björk ou nos desfiles de Lee.

Ama Lady Gaga, a diversão, o just dance, o little bit too much, os soldiers, a liberdade, a divice e as surpresas.

Ama o café, o chá, as massas e outros petiscos, seja em casa, seja no bar, mas sempre em companhia dos amigos.

Ama envolver-se, jogar-se, seja na arte, seja nos relacionamentos. Porém, tanto amor pode acabar se transformando em ódio ou amargura, mas sempre vem um novo amor apagar os resquícios ruins daquele que não deu certo.

Ama até quando o amor é uma paixão fingindo que é amor.

Afinal, acho que Joapa ama mesmo é amar. Ama o amor, pura e simplesmente.

Por trás de uma Lady, há sempre um Mr.

27 set

Dois descendentes de italianos, mas ela é de Nova Iorque e ele, de outro planeta, chamado Japão. Duas origens extremamente excêntricas que, ao se encontrarem, geraram o fenônemo chamado Lady Gaga.

Lady Gaga, Nicola Formichetti e Matt “Dada” Williams, por Nick Knight, para i-D Magazine

Com certeza, Stefani Joanne Angelina Germanotta não teria se tornado a Gaga que conhecemos hoje e, provavelmente, não faria tanto sucesso sem a colaboração de Nicola Formichetti. O fashion stylist, consultor de moda e diretor criativo conheceu a cantora em um ensaio para a V Magazine, em 2009. A partir daí, o conceito “Gaga” mudaria. Embalada pela fase “The Fame Monster“, a parceria entre eles mostrou funcionar. Nicola começou a ser responsável por todos as produções da cantora, desde os figurinos da promissora “Monster Ball“, passando pelos ensaios para revistas, entrevistas e performances na TV, até os escandolosos looks exibidos por poucos minutos, no entra e sai dos hotéis. Construindo uma carreira em que suas roupas são quase tão importantes quanto sua música, Gaga deve a Nicola grande parte de seu sucesso estrondoso.

Ensaio em que conheceu Gaga, para V Magazine

Lady Gaga no Royal Variety Show, apresentando-se para a rainha Elizabeth II

Lady Gaga no Accessories Council Excellence Awards

Lady Gaga em performance de “Alejandro”, no American Idol

Lady Gaga após o histórico VMA 2009

Mas Nicola Formichetti não é somente responsável pelo visual de Gaga. Sempre envolvido em projetos novos, ele também é diretor de moda da Vogue Hommes Japan (que está fazendo sucesso mundial), e editor de moda de revistas como Dazed & Confused e V Magazine. Além disso, trabalha com os maiores fotógrafos e grifes do mundo, como Hedi Slimane, Steven Klein, Nick Knight, Mariano Vivanco, Alexander McQueen, Prada e Armani. Recentemente, foi escolhido como o novo diretor criativo de Thierry Mugler, um dos estilistas mais originais da história da moda. O talento de Nicola está em conseguir dialogar com muitas culturas, sem preconceitos, agregando o lixo ao luxo, o elegante ao freak e o ordinário ao original.

Ensaio por Mariano Vivanco, para Vogue Hommes Japan

Ensaio por Steven Klein, para Vogue Hommes Japan

Ensaio por Mariano Vivanco, para Commons & Sense Man

Ensaio por Hedi Slimane, para Vogue Hommes Japan