Tag Archives: livros

Conversa em Quadrinhos com João Marcos

13 abr

2011 está sendo, com certeza, um ótimo ano para os quadrinhos em BH. Além da confirmação do FIQ (Festival Internacional de Quadrinhos) para novembro, a Gibiteca Antônio Gobbo está renascendo, trazendo quadrinistas de qualidade para bate-papos, promovendo encontros para se pensar quadrinhos e possibilitando o empréstimo de grande parte de seu acervo. São ótimas notícias para os amantes dessa arte e uma fantástica oportunidade para aqueles que ainda não a conhecem direito.Depois de Laerte, Eddy Barrows e Alves, é a vez de conversar com João Marcos, ilustrador, chargista e um dos roteiristas da Turma da Mônica. O artista aproveita o bate-papo para lançar e autografar seu último livro: Histórias tão pequenas de nós dois, com seu personagem Mendelévio, presente em tiras de jornais mineiros. O encontro acontece neste sábado, às 11h, na Gibiteca.

E não se esqueça de seguir a Gibiteca e João Marcos no Twitter e curtir a página da Gibiteca no Facebook! Ah, é claro, também não deixe de ir à Rua Carangola, número 288, no bairro Santo Antônio e fazer empréstimos de seus gibis favoritos!

Anúncios

Bate-Papo com Zuenir Ventura

6 mar

No próximo dia 22/03, terça-feira,  a Academia Mineira de Letras (AML) traz, através do projeto “Bate-Papo com o Autor”, o jornalista Zuenir Ventura, autor do livro 1968 – O ano que não terminou. O jornalista vai relançar seu livro originalmente publicado em 1989 e que estreou sua carreira como escritor e quem quiser comprar a obra, ela estará à venda no evento e o mais legal é que as 100 primeiras cópias serão vendidas a R$5,00! O evento vai acontecer na AML (Rua da Bahia, 1466, Lourdes – Belo Horizonte, MG − Telefone: (31) 3222-5764), às 19h30 do dia 22 de março. A entrada é franca.

Quem quiser conhecer um pouco mais do autor até o bate-papo, pode dar uma vasculhada no site oficial.

Informações retiradas do site da AML.

 

Os Filhos de Húrin

27 fev

Ao que parece, o filho de J. R. R. Tolkien, Cristopher, resolveu plagiar a idéia de Dimitri Nabokov: publicar uma obra inédita do pai famoso. O enredo de Os Filhos de Húrin (OFdH) gira em torno da mais longa balada dos tempos ancestrais, a Narn i chîn Húrins (O conto dos filhos de Húrin), narrativa sobre a glória e a queda de Túrin Turambar, herói humano que, depois de o mal se estender sobre o noroeste da Terra-Média, resiste ao senhor das trevas Morgoth com mais vigor e fúria que a maioria dos lordes élficos da época, no entanto, ao fazê-lo, produz ainda mais destruição.

Em vida, Tolkien teve apenas duas obras publicadas: O Hobbit e Senhor do Anéis. Entretanto, após sua morte, seu filho Cristopher já lançou vários outros livros, inclusive duas sínteses dessa obra: em O Silmarillion (1977) e nos Contos Inacabados de Númenor e da Terra-Média (1980). Mas OFdH, tem algumas diferenças das publicações anteriores, além de mais completa e detalhada, a narrativa também traz detalhes que até agora se encontravam inéditos, como por exemplo, “A Batalha da Lágrimas sem Conta” (Nirnaeth Arnoedidad).

Para a grande parte dos tolkienmaníacos, Cristopher é um herói por publicar obras desconhecidas do pai (acabadas ou não) e divulgar desde rascunhos até cartas sobre estas, proporcionado ao público uma visão que geralmente fica restrita ao meio acadêmico. No entanto, há quem o considere um oportunista por viver às custas das memórias do Tolkien-pai e todo aquele blábláblá que sempre tem.

Com informações da versão impressa do Estado de Minas

Manuscrito Inédito de Nabokov

21 fev

Após hesitar por 32 anos, o filho do escritor russo Vladimir Nabokov resolveu tomar vergonha na cara e publicar/anunciar um manuscrito inédito, escrito por seu pai. A obra, infelizmente incompleta, chama-se “O Original de Laura” foi leiloado em Nova York, pela casa de leilão Christie’s e conta a história (bem mais insinuante e explícita que Lolita, causando polêmica) de um neurologista brilhante, mas fisicamente pouco atraente, deprimido pela infidelidade da esposa mais jovem e que pensa em cometer suicídio. Por causa do método empregado pelo autor, conhecido como escrita progressiva, que consiste basicamente na escrita da idéia geral e ir completando/retocando os partes vagas, não é possível muito aprofundamento na obra. É como se olhássemos por sobre os ombros do escritor, enquanto este dá vida aos seus personagens. Este método também foi utilizado por outros autores enxadristas, como Machado de Assis.

O manuscrito foi salvo da fogueira da Inquisição pela viúva de Vladimir, Véra, a santå que também salvou o imperdível Lolita de “morrer” cremado. Aparentemente, Vladimir, já no leito de morte deixou instruções a seu único filho e à sua esposa para que queimassem todo seu material inacabado, após a sua morte. Com lançamento previsto para este mês, o livro deve chegar às livrarias com preço em volta de R$50 e R$60 e já está em pré-venda no site da Saraiva.

Para saberem mais informações cliquem aqui, aqui, aqui e aqui.