Tag Archives: Quadrinhos

Calvin nos faz chorar

26 jun

Calvin e Haroldo

19 jun

Metamorfose

9 jun

The Perry Bible Fellowship

27 maio

The Perry Bible Fellowship é um site em que se reúnem as tirinhas desenhadas por Nicholas Gurewitch. A maior parte dos quadrinhos produzidos pelo americano para o TPBF abordam temas como guerra, sexualidade, religião, ficção científica, morte e questões éticas. Nada que lide com tais assuntos poderia deixar de ser controverso e o Perry Bible não é uma excessão. O grande destaque vai, porém, para a variedade de estilos e instrumentos com que Nicholas trabalha: aquarelas, desenhos à mão livre, pixel art, etc. Utilizando, às vezes traços mais elaborados e muitas cores e outras vezes apenas o contorno dos rostos e alguma leve expressão, cada tirinha parece ter sido obra de uma pessoa diferente. Para quem lida com a língua inglesa sem problemas, o endereço é este aqui, já para quem tem dificuldades neste sentido, há um blog brasileiro que traduz algumas das tiras para a gente aqui.

The Perry Bible Fellowship já esteve em alguns suportes importantes, incluindo 21 jornais e 5 revistas pelo mundo. A produção das tiras, porém, cessou em 2008. Para exemplificar a variedade e qualidade do trabalho, trouxe algumas para o blog:

A festa dos “otakus”

9 abr

"Death Note", um inteligente, maduro e filosófico anime que aborda a questão da morte sob um prisma bastante peculiar

Assim são chamados os fãs dos quadrinhos e desenhos animados japoneses, os mangás e animes, respectivamente. Para estes, Belo Horizonte será, neste fim de semana (11 e 12/04) cenário de um importante evento.

O Anime Festival acontece anualmente em duas edições: a primeira, em meados de Abril, denominada Anime Festival Party e a segunda, em meados de Outubro, considerada a oficial. Não há diferença, contudo entre os dois eventos. Ambos costumam acontecer no Colégio Marista Dom Silvério e reunir milhares de pessoas apaixonadas pela cultura pop japonesa.

Entretanto, não só os otakus mais fanáticos têm sua entrada autorizada. O Anime Festival é uma oportunidade interessante para aqueles que procuram materiais raros de quadrinhos e animações japonesas, uma vez que não só de Naruto (um desenho animado japonês muito popular entre a infanto-juventude brasileira) sobrevive o mercado da ilustração nipônica. É uma oportunidade, acima de tudo, de conhecimento e averiguação cultural, pois, entre os coloridos mangás de personagens com penteados extravagantes, possuidores de vigorosos animaloides com poderes mágicos, encontram-se autênticos e clássicos mangás japoneses, mangás pouco comerciais, ou mesmo aqueles com temática adulta que abordam temas eróticos, filosóficos, poéticos ou cotidianos da vida na terra do sol nascente.

"Paprika", animação japonesa muito premiada e cultuada. Trabalha questões do prazer onírico e a relação entre sonhos e realidade

Entre as atrações do evento estão a presença de dubladores das animações japonesas no Brasil (que respondem a perguntas no palco e gritam, com a voz dos personagens que dublam, as frases que seus fãs pedem, causando furor entre os mesmos), shows de bandas que costumam tocar as músicas populares do universo da animação e do video-game, campeonatos de jogos populares como o Guitar-Hero e os famosos concursos de Cosplay; que consiste na arte de se vestir e agir como os personagens dos mais diversos tipos de ficção durante todo o evento. Isso tudo, é claro, sem contar as estandes e mais estandes onde se pode comprar livros, mangás, quadrinhos (sim, além dos japoneses, encontra-se muito dos tradicionais quadrinhos de super-heróis americanos, além dos clássicos cults como os de Milo Manara, Neil Gaiman e Alejandro Jodorowsky), DVDs e outros artigos relacionados.

A enorme repercussão de "Sandman" talvez se deva aos múltiplos traços que mudam a cada edição e ao grande grau de complexidade de suas histórias

Um Sábado Qualquer

24 fev

Um Sábado Qualquer é um blog que reúne tirinhas satirizando Deus, o homem e a existência do universo. Tem sacadas ótimas e senso de humor apurado, tudo na autoria de Carlos Ruas. Vale a pena conferir!